Sementes Fiscalizadas

Telefone (+55):
55 3322 6790 ou 8111 2902

sementes@sementesfiscalizadas.com.br - Skype | MSN | E-mail

AGRICULTURA: COOPERATIVAS DO PR CONSTITUEM CONSÓRCIO DE INSUMOS .

Publicada em 29/09/2008 às 15:55:35

AGRICULTURA: COOPERATIVAS DO PR CONSTITUEM CONSÓRCIO DE INSUMOS  .AGRICULTURA: COOPERATIVAS DO PR CONSTITUEM CONSÓRCIO DE INSUMOS



Um grupo de 21 cooperativas agropecuárias do Paraná lançou na
última sexta-feira (26), em reunião com o ministro da Agricultura, Reinhold
Stephanes, realizada na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba (PR), a formação do
Coonagro (Consórcio Nacional Cooperativo Agropecuário) que atuará no setor de
fertilizantes com o objetivo de reduzir os impactos do custo de Fprodução do
insumo.
O consórcio vai coordenar e desenvolver métodos para aquisição, formulação,
fabricação, industrialização, distribuição, comercialização e importação de
insumos agrícolas, fertilizantes, defensivos, corretivos, entre outros produtos
agropecuários.
O Coonagro é o resultado de estudos realizados pela Ocepar ainda em 2003 e
da decisão do governo federal, neste ano, de buscar uma solução ao problema da
dependência do mercado externo de fertilizantes. "É um momento importante para
a história do cooperativismo do Paraná, que une forças numa ação que trará
muitos benefícios para os cooperados", disse o presidente da Ocepar, João Paulo
Koslovski, ao abrir a solenidade de oficialização do consórcio.
Koslovski lembrou de reunião promovida em fevereiro de 2007 pelo ministro
Stephanes, que lançou o desafio às cooperativas, de buscarem uma solução
conjunta. Neste ano o Ministério da Agricultura (Mapa) realizou diversas
reuniões em Brasília, que antecederam as reuniões promovidas pela Ocepar, em
Curitiba, para discutir possíveis soluções ao problema. Koslovski agradeceu o
empenho do ministro e pediu apoio para agilizar o registro de produtos nos
órgãos federais.
A dependência estrangeira no fornecimento estrangeiro de matéria-prima para
o Brasil, vai reduzir drasticamente em menos de uma década, segundo mostrou o
ministro Reinhold Stephanes. O ministro fez um relato da situação de dependência
em que se encontra o Brasil e a preocupação do governo federal em resolver essa
questão estratégica, que levou o próprio presidente Lula a se empenhar na busca
de soluções através da criação de um grupo de trabalho, do qual participam
diversas áreas do governo.
Em cerca de 5 anos o Brasil deverá alcançar a auto-suficiência em
nitrogênio. "Até o final do ano a Petrobrás deverá apresentar estudo sobre a
auto-suficiência em nitrogenados", frisou o ministro que fez um relato sobre as
grandes jazidas de gás em exploração, que podem fornecer matéria-prima para
fertilizantes. Também acenou para o fim da dependência em fósforo, num período
de 6 a 7 anos, em função da possibilidade de exploração de novas jazidas. Da
mesma forma, foram descobertas jazidas significativas de potássio no Recôncavo
Baiano que, com outras soluções, devem permitir ao Brasil o auto-abastecimento
em cerca de dez anos.
O ministro afirmou que "essa é uma solução fantástica", referindo-se à
formação do consórcio Coonagro pelas cooperativas do Paraná. Frisou que além da
iniciativa das cooperativas do Paraná o governo aventou a possibilidade de
formação de um consórcio que reuniria cooperativas e uma empresa da Petrobrás.
Ao apelo do presidente da Ocepar para apoiar o registro de novos produtos na
esfera federal respondeu que o ministério está com as portas abertas. O
secretário da Agricultura do Paraná, Valter Bianchini, que participou da
solenidade de formalização do consórcio, elogiou a iniciativa. "O consórcio
trará impactas muito positivos, reduzindo os custos e podendo atuar também, de
acordo com seus estatutos, em agroquímicos. O Paraná está dando exemplo, através
da Ocepar, de como resolver os entraves à nossa agricultura", afirmou.
Na opinião do presidente do Coonagro, Frans Borg, escolhido por unanimidade
para comandar o Consórcio, a iniciativa é um marco para a história do
cooperativismo paranaense. "A concentração de mercado é uma realidade da
economia globalizada e as cooperativas não podem ficar passivas diante dessa
distorção. Era preciso uma resposta e a formação do Consórcio é uma iniciativa
fundamental para que possamos superar este grave problema com sérios impactos no
custo de produção dos agricultores", afirmou. "É uma semente que se plantou e
a gente espera, e vamos trabalhar para isso, que o Sistema Cooperativista a
irrigue para que ela cresça e possa dar frutos", concluiu. Com informações do
boletim Paraná Cooperativo, da Ocepar-Sescoop/PR. (AB)


Fonte: OCEPAR