Sementes Fiscalizadas

Telefone (+55):
55 3322 6790 ou 8111 2902

sementes@sementesfiscalizadas.com.br - Skype | MSN | E-mail

CRISE DO LEITE FAZ PRODUTOR DESCARTAR ANIMAIS POUCO PRODUTIVOS.

Publicada em 15/10/2008 às 10:22:00

CRISE DO LEITE FAZ PRODUTOR DESCARTAR ANIMAIS POUCO PRODUTIVOS.Crise do leite faz produtor descartar animais pouco produtivos.





Produtores de leite de São Paulo estão negociando o litro por R$ 0,60, preço considerado baixo. Com isso já tem criador descartando os animais menos produtivos.

Na propriedade do seu Orlando Costa, em Votorantim, no sudeste paulista, o trabalho é em família. Enquanto ele e a mulher despejam o leite no resfriador, o filho e o cunhado ordenham as vacas. Só assim é possível sobreviver no negócio, diz o produtor.

“Hoje está difícil por causa da mão-de-obra e da qualificação de trabalho leiteiro. Então, só agüenta quem é o dono e quem gosta do ramo”, explicou seu Orlando.

O dono de um rebanho de 300 vacas, cerca de 70 em lactação, o criador reclama que o leite produzido na propriedade, cerca de 1,2 mil litros por dia, está sendo vendido por um preço que quase não deixa margem de lucro.

Quais os motivos para o preço do leite ter caído tanto? “Na minha opinião, em janeiro, fevereiro e março é época que sobra leite. E as cooperativas, como o produtor estava num preço bom, começaram a estocar o leite para ser vendido no inverno. Agora, começaram a vender para dar baixa no estoque do leite. E colocaram o preço baixo. Foi onde o leite caiu e a produção não teve queda. E o leite continua baixando”, esclareceu seu Orlando.

O mercado em baixa está levando o criador a intensificar a seleção do rebanho. Para reduzir custos vacas que dão menos do que 15 litros de leite por dia estão sendo descartadas. Só ficam vacas que produzam de 20 a 40 litros de leite por dia.

Uma das medidas que o governo estuda para enxugar o mercado de leite é a exportação. É o que revela o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes.

“Nós estamos trabalhando no sentido de exportar o excedente. O problema do leite, fundamentalmente, foi o crescimento da produção e estamos com excedentes. E estamos com perspectivas de nos próximos 90 ou 120 dias colocar boa parte desses excedentes na Rússia. Uma missão Russa chega ao Brasil neste mês de outubro e eles começarão a analisar a questão e em aproximadamente 90 ou 120 dias eles façam algumas importações”, explicou Stephanes.

A exportação de leite cresceu bastante este ano. Embora, não o suficiente para enxugar o mercado interno.

De janeiro a setembro, o Brasil exportou 110 mil toneladas de leite em pó e derivados. Houve um aumento de 77% em relação ao mesmo período do ano passado.(Globo Rural)


Fonte: AGROLINK.